Sexta-feira, 19 de Março de 2010
a Hora da Verdade...

Apesar de ainda não ter obra feita, Manuel Pinto Brasil (MPB) tem a incomparável vantagem, sobre o seu oponente, de ainda não se lhe conhecer qualquer obra desfeita.

Ao contrário da lista B, em que apenas Emílio Macedo da Silva (EMS) parece ter direito a voz activa, a lista A vale pelo seu todo. E é aqui que reside uma das grandes diferenças entre as duas listas.

E a diferença é tão gritante que EMS não teve outra solução que não fosse a de evitar a todo o custo qualquer debate entre os Vice-Presidentes de ambas as listas. Se aceitasse esse desafio, as suas consequências seriam avassaladoras e deitariam por terra as poucas possibilidades que ainda parecem restar à lista B.

 

Luís Cirilo é o Vice-Presidente para o futebol, e será com toda a certeza uma das apostas mais seguras desta lista. Homem esclarecido, de fortes convicções, vitoriano de alma e coração, comprometido com toda a massa associativa pelos inúmeros artigos de opinião que tem publicado, tanto na blogosfera como na imprensa escrita. Eloquente no seu discurso, será com toda a certeza a face mais visível desta Direcção. Luís Cirilo será sempre um garante da defesa da honra do clube e da sua massa associativa. Com Luís Cirilo, estou realmente convencido que o lamentável episódio do estádio do Dragão até poderia voltar a repetir-se, mas não voltaria com toda a certeza a ficar sem resposta.

 

Luís Alves foi o homem escolhido para Vice-Presidente para a área financeira. Um homem que tem o discurso convincente de quem sabe aquilo que está a dizer e a fazer. Luís Alves dá mostras de ser conhecedor da realidade financeira do clube, embora apenas daquela que lhe é permitida saber pela actual Direcção do Vitória. É lamentável que não seja possível ouvir a sua análise global, mas essa responsabilidade terá de ser totalmente imputada a EMS. Também ele eloquente na forma como aponta as medidas que deverão ser implementadas para ultrapassar a débil situação financeira do clube, Luís Alves parece ser o homem certo no lugar certo.

 

Para Presidente da Assembleia Geral, foi escolhida uma personalidade consensual. Já com alguma experiência directiva, apesar de ser relativa a um clube de incomparável menor dimensão, o Padre Antunes parece ser uma excelente aposta para se conseguir dignificar as Assembleias Gerais do Vitória, sempre tão polémicas e agitadas.

 

 

E então, afinal, quais são as opções que estão em jogo, agora que está tão próxima a hora da verdade?


De um lado, temos a figura autocrática de EMS, o paradigma do eucalipto que tudo seca em seu redor, para quem a restante equipa directiva se esgota no seu efeito decorativo, e de quem me dispensarei de fazer mais quaisquer considerações (ler o artigo "Coroa de glória ou de espinhos").

 

Do outro lado temos a lista A, uma equipa na verdadeira acepção do termo, em que cada elemento já deu mostras de estar consciente de ser "apenas" uma peça de uma complexa engrenagem, que necessitará que todos cumpram com rigor o seu papel para que ela possa funcionar em toda a sua plenitude.

A ideia com que se fica, no fim desta campanha, é a de que, com a lista A, estamos perante uma equipa esclarecida, conhecedora da realidade e com ideias muito concretas das soluções necessárias para a enfrentar e ultrapassar a débil situação financeira em que EMS deixa o Vitória no fim deste seu mandato. Com a lista A, temos a esperança de que o Vitória possa finalmente ser lançado no patamar que é seu por direito próprio e que há muito faz por merecer através da enorme dedicação, de uma massa associativa e de toda uma cidade, sem par no panorama desportivo e social nacional.

Esta lista é acusada, pelos seus detractores, de não ter experiência nem tão pouco obra feita.

É verdade, mas como poderia ela ter? Será possível mostrar resultados antes mesmo de se começar a trabalhar? Obviamente que não. No entanto, já mostraram que estudaram a situação do clube e até já têm uma visão concreta e uma estratégia montada, muito bem corporizada num programa eleitoral realista e responsável, e que tem sido explicado à exaustão a quem quer ser elucidado, comparecendo às inúmeras sessões de esclarecimento realizadas nesta últimas semanas..

Não merecerá esta lista, o mesmo voto de confiança e de esperança que esses mesmos detractores deram a EMS quando há 3 anos se candidatou às eleições, também ele na altura sem obra feita no Vitória?

Qual era o trabalho então apresentado por EMS?

Aquilo que EMS pediu nessa altura, foi exactamente o mesmo que MPB pede agora, mas com a incomparável vantagem de alicerçar as sua pretensões num projecto bem mais credível.

Nestas eleições, aquilo que está em causa não é trocar o certo pelo incerto, como alguns fazem questão de alegar, os mesmos que não têm outro argumento para apresentar que não seja a experiência de 3 anos de EMS, uma experiência com muitos êxitos desportivos, é verdade, mas também recheada de desconsiderações e desrespeito pela massa associativa, por falsas ilusões e até mesmo por mentiras.

Aquilo que realmente está em causa não é trocar o certo pelo incerto, mas sim trocar o errado pelo incerto, mas por um incerto repleto de sinais e evidências que nos fazem ter esperança num futuro bem melhor.

 

Apesar de MPB não ter exactamente o perfil que eu gostaria de ver num Presidente do Vitória, a verdade é que se lhe devem reconhecer dois méritos: a coragem de se apresentar a votos, e o engenho que teve de se fazer rodear de um elenco directivo de verdadeiros vitorianos (sem outras paixões clubísticas, nacionais), que poderá muito bem ser a alma daquilo que há tanto tempo sonhamos para o nosso clube.

 

É essa a minha convicção.

É por isso que, no dia 20, eu votarei na lista A...


José Rialto

 

(cartoon publicado no Dom Afonso Henriques e no Depois Falamos)



publicado por Miguel Salazar às 00:48
"link" do artigo | o seu comentário | favorito

7 comentários:
De Pedro MEndes a 19 de Março de 2010 às 02:04
Bravo Miguel! Mais uma excelente caricatura!
Gostei especialmente do "Milo" à frente com cara de anijinho, e atrás de dentes arreganhados! É precisamente a imagem que eu tenho do homem! É o Milo de "duas caras" ;-D

Abraço


De Miguel Salazar a 19 de Março de 2010 às 20:30
A verdade é que infelizmente ainda há muita gente que só lhe consegue ver a cara de anjinho...


De Jaime Marques a 19 de Março de 2010 às 10:49
Embora não concorde, parabens pela excelente defesa da candidatura da Lista A e , sobretudo, pelas criticas feitas à B.Acho que todos os associados têm a obrigação de fazer opções por uma ou outra Lista,independente dos juizos de valor que façam. A posição mais fácil é não votar e depois criticar.As opções que temos são estas e não outras.Quanto à lista A só é pena que não seja encabeçada pelo Luis Cirilo,indiscutivelmente uma pessoa preparada e com passado no Vitória e no movimento associativo.
Para mim que acompanhei a campanha e ,sobretudo, assisti aos debates televisos conclui :
-EMS tem uma fraca prestação,mas MPB é bem pior. Muita demagogia,algumas barbaridades e muitas insinuações, enfim, lamentável!Todos sabemos que o Vitória funciona duma forma presidencialista,basta ver, que o Presidente a qualquer momento pode substituir um vice, pelo que as eleições se centram na figura do Presidente.
Ora ,eu entre um e outro fiz a minha opção-voto no male menor- Lista B-continuidade. Pelo menos não vou correr riscos e aguardo por uma candidatura nas próximas eleições que tenha um projecto credivel,constituido por pessoas que tenham passado no Vitória ou outras associações e que ao longo do próximo triénio apareçam nas Assembleias do Clube, critiquem o que está mal, apresentem alternativas.E algumas dessas pessoas fazem parte da Lista A


De Miguel Salazar a 19 de Março de 2010 às 21:31
Concordo com alguns dos seus pontos de vista, Jaime, nomeadamente no facto de também considerar que a hipótese de ter Luís Cirilo à frente da lista A, seria com certeza a melhor solução.
Mas a realidade é que não está, e nós temos de nos decidir por uma das duas listas, tal como elas estão.
E aí, eu não tenho dúvidas que a lista A, globalmente, me dá muito maiores garantias do que a B.
E, para além de tudo, eu não posso esquecer as desconsiderações, o desrespeito e a mentira, da actual Direcção.
Uma das poucas coisas em que discordo de si, meu caro Jaime, é mesmo no mais importante - o sentido do voto...


De anónimo a 19 de Março de 2010 às 14:58
Jaime Marques deve andar enganado: o presidente não pode demitir um vice. Os elementos eleitos só podem ser demitidos em assembleia Geral


De Jaime Marque a 22 de Março de 2010 às 15:56
Na prática quem manda é o Presidente, pois é ele que dá responsabilidades aos vices. Se algum discordar fica sem funções e, obviamente , terá que se demitir. Foi o que aconteceu com L. Baltar,Manuel Almeida e Manuel Soares. A nomeação de novso vices sera retifiicada em A.G. sob proposta da Direcção.Logo continuamos a ter um sistema presidencialista.


De Miguel Salazar a 23 de Março de 2010 às 00:15
Concordo EM ABSOLUTO consigo, meu caro Jaime.
Com a reeleição de EMS, continuamos a ter um sistema Presidencialista.
Se há coisa de que não tenho dúvida, é desse facto...


Comentar artigo

procurar cartoons
procurar por nome/palavra
 
desenhos mais recentes

Pois é, Pedro...

Socratis sinistrus...

o "álb'oon" em destaque (...

o "álb'oon" em destaque (...

VAR - Video And Rescue...

Eh pá... Criem-na lá !...

O senhor Júlio vai à Rádi...

O senhor Júlio e o amigo ...

Contas de Merceeiro...

Esse Mito Urbano chamado ...

arquivo de desenhos
tudo sobre
tudo sobre
para explorar o blogue
acerca de nós
visitas nas últimas 24h

visitas acumuladas

páginas visualizadas