Domingo, 8 de Janeiro de 1978
É chegada a Hora da Verdade…

(este artigo foi publicado no dia 29 Março 2012)

(advertência ao leitor: este texto  não tem carácter humorístico)

 

Este sábado poderá muito bem ser o primeiro dia da construção de um Vitória maior, de um Vitória que concretize finalmente a eterna promessa que tem sido, há já quase 90 anos…

Mas para isso vamos ter de ser todos muito racionais.

Em primeiro lugar, temos de dar uma prova inequívoca da grandiosidade do nosso clube, ao acorrer massivamente às urnas.

Porque não é lícito que nos alheemos deste processo eleitoral.

Poderemos não estar de acordo com tudo aquilo que uma e outra lista diz e defende, mas a verdade é que não nos poderá ser indiferente que vençam uns ou outros, principalmente quando estão em causa dois projectos tão diferentes.

Eu, por exemplo, não concordo com tudo aquilo que defendem aqueles em quem eu vou votar, mas não me é indiferente quem vença estas eleições.

Porque a verdade é que se eu não fizer a minha escolha, alguém o fará por mim, seguramente.

Goste-se ou não se goste, no dia 31 serão eleitos aqueles que irão dirigir os nossos destinos nos próximos 3 anos, se eles existirem de todo, claro, porque também isso está em causa – a sobrevivência do nosso clube.

As dúvidas que se põem, no final, são duas…

- queremos ou não, participar nessa decisão?

- e o destino do nosso clube, continua a ser importante para nós (vós) ou passou a ser-nos (-vos) completamente indiferente?

E esta é a reflexão que julgo que todos nós devemos fazer, antes de equacionar sequer a hipótese de prescindir do direito que temos de escolher o nosso destino.

Eu não prescindo do meu direito de escolher !

"Quem escolher?" é que já é uma questão, esta sim, absolutamente discutível...

 

De um lado temos Manuel Pinto Brasil, alguém que se apresenta igual a si próprio, e igual àquilo que já era em 2010, com a agravante de agora se declarar incapaz de discutir o clube olhos nos olhos com o seu oponente, com a surrealista justificação de que não faria sentido discutir ideias antagónicas.

Para Pinto Brasil, parece ser muito mais "razoável" e interessante discutir-se… quando as ideias são iguais.

Será possível alguém acreditar que estes mesmo senhores da lista B, que agora temem o simples confronto de ideias entre pares, algum dia fossem capazes de enfrentar (e defender o nosso clube), nessa selva que é o nosso futebol, poderosos “lobbies” como são o dos jornalistas, o dos árbitros, e principalmente o dos “três estarolas”?

Será que realmente alguém acredita nisso?

E será que alguém se deixa embalar nesse canto de sereia que é o de Pinto Brasil, que conseguiu dar uma entrevista de mais de 40 minutos, sem dizer rigorosamente nada de palpável ou objectivo.

Apenas promessas de avales pessoais, e de milhões que hão-de aparecer… quando forem necessários.

Poucos dias antes da entrega das listas, Pinto Brasil ainda não tinha escolhido o seu homem forte para o futebol.

É bem verdade que até nem desgostei da entrevista de António Coelho à Rádio Santiago. Mas, apesar do evidente bom senso que demonstrou ter, deixou também ficar bem patente que o seu projecto está ainda muito verde.

E como poderia não estar, se teve tão pouco tempo para nele poder pensar?  

Eu fui um apoiante da lista de Pinto Brasil nas eleições de 2010.

A verdade é que fui apoiante da sua lista, não “por ele”, mas sim “apesar dele”.

O perfil de Pinto Brasil está (como já estava naquela altura) muito longe daquele que eu acredito que deveria ser o de um Presidente do Vitória.

O que a sua lista de então tinha de bom, eram muitas das pessoas que agora vamos encontrar na lista de Júlio Mendes.

Não obstante se fazer acompanhar por alguns vitorianos muito respeitáveis, a lista de Manuel Pinto Brasil perdeu todos aqueles que me levaram a apoiá-la em Março de 2010.

 

Mas também é verdade que há algumas coisas na lista de Júlio Mendes que me continuam a causar um enorme desconforto.

O meu principal desconforto está relacionado com a ligação de Júlio Mendes à anterior Direcção. O facto de os seus “pecados” serem mais de omissão do que propriamente de acção, apenas atenuam um pouco esse desconforto.

Reconheço também que continuo a não me sentir nada confortável com a ligação de alguns dos outros candidatos da lista A à anterior Direcção.

Da lista de Pinto Brasil, de 2010, acompanharam Luís Cirilo três vitorianos de grande valia, como são os casos de Hugo Freitas, Cristina Carvalho e Daniel Rodrigues.

Lamento apenas o facto de Luís Alves não ter sido incluído neste grupo.

Sem pretender desconsiderar o actual candidato a Vice-Presidente para a Área Financeira pela lista A, julgo que, com a opção de não incluir Luís Alves, se perdeu alguém extremamente válido, que seria certamente um trunfo fundamental para as dificuldades que nos esperam nestes tempos mais próximos.

Não sou um particular entusiasta das SAD, mas o problema é que, neste momento, não temos outra alternativa razoável. Graças ao estado calamitoso em que Emílio Macedo da Silva e os seus pares deixaram as finanças do nosso clube, não existe agora outra opção válida para assegurar a necessária e premente injecção de capital.

Já não é mais uma questão de se ser a favor ou contra a criação da SAD.

É apenas e tão só a questão da sobrevivência do clube.

Haverá algum vitoriano que acredite que haja algum investidor que esteja na disposição de injectar milhões num clube se depois não tiver qualquer tipo de controlo na sua gestão?

A verdade é que, no momento actual, não há mesmo alternativa válida à SAD.

E há ainda uma outra verdade, embora esta seja apenas minha – não obstante todas estas minhas reservas, eu continuo a acreditar no projecto de Luís Cirilo.

E acredito no projecto porque, apesar de Luís Cirilo ter retirado a sua candidatura pessoal, esse projecto mantém-se intacto na lista de Júlio Mendes, como o próprio fez questão de lhe garantir em tempo próprio.

As intervenções de Luís Cirilo, ao longo destas duas últimas semanas, foram sempre muito cristalinas, respondendo a todas as questões e procurando esclarecer todas as dúvidas, falando daquilo que é essencial, nunca se refugiando em respostas populistas.

Sem fugas para a frente ou para trás, falou sempre com a clarividência de quem sabe aquilo que pretende para o Vitória.

Uma clarividência que lhe advém de 40 anos de vida associativa e de vários anos a pensar no modo como ele próprio se poderia constituir como a solução para o clube.

Eu tenho as minhas reservas, é verdade, não concordo com tudo, mas continuo a acreditar que Luís Cirilo será capaz de levar o nosso clube a patamares nunca antes alcançados.

Sou seu apoiante desde o início e continuarei a ser.

Conheço bem as suas ideias, conheço as suas convicções, conheço a sua paixão pelo Vitória e conheço essencialmente o seu carácter.

Não tenho quaisquer dúvidas que, com ele, a nossa nau será levada a bom porto.

É por tudo isto que, e não obstante algumas reservas que ainda tenho...

...eu votarei na lista A !

 

Miguel Salazar



publicado por Miguel Salazar às 00:16
"link" do artigo | o seu comentário | favorito

11 comentários:
De Vitoriano a 29 de Março de 2012 às 21:56
Apoiante de Luís Cirilo desde sempre, com um parêntesis ao episódio em que este o obrigou a um pedido de desculpas aqui no seu blogue...
Constato que, infelizmente, o senhor já entrou novamente nos carris, no vergonhoso comboio da venda do nosso clube.
Perdi completamente a paciência para estes ziguezagues, públicos ainda por cima, já nao há vergonha


De Miguel Salazar a 29 de Março de 2012 às 23:26
Vergonha é o senhor vir aqui comentar nesses termos.
E não consegui perceber o que é o levou a pensar que eu teria de lhe dar qualquer tipo de satisfação sobre aquilo que faço ou deixo de fazer.
Se eu, aquilo que eu escrevo, ou aquilo que eu desenho o incomoda assim tanto, meu caro, tem bom remédio - deixe de cá vir...


De JOSE MACHADO a 3 de Abril de 2012 às 15:23
Dr. Miguel

Não leve a mal que lhe diga que, doa a quem doer, deter apenas 40 % ou menos da SAD é, efectivamente, vender o clube. Depois falamos.....nas AG, em Julho ou antes.

Cumps.


De Miguel Salazar a 3 de Abril de 2012 às 20:30
Meu caro José Machado,
Não é o clube, mas apenas o chamado "negócio futebol".
E isso não é bem a mesma coisa...


De Vitoriano a 6 de Abril de 2012 às 12:30
O negócio do futebol é um dos maiores patrimónios do clube. Se o negócio do futebol é tão apetecível, porque não mantê-lo dentro do clube, e o clube ganhar com isso ?? Pois não é bem a mesma coisa, é bem pior. O Vitória está oficialmente a saque, ele é dirigentes, ele são os próprios jogadores/empresários em conluio com os agora dirigentes... isto está bonito está !!
Mas o Vitória ainda é nosso, e lá para Julho fazemos contas. Como diz o seu amigo, esse grande vitoriano, DEPOIS FALAMOS ! Pode ser que depois tenha efectiva oportunidade de ser ele o salvador do Vitória.


De Miguel Salazar a 6 de Abril de 2012 às 15:52
Quem me dera a mim que fosse possível evitar a SAD.
O problema é que não é, e o "Vitoriano" parece-me que ainda não foi capaz de entender a actual situação do clube.
Mas eu, como sou uma pessoa paciente, vou voltar a tentar explicar-lhe...
O passivo do Vitória está bem para lá dos 20 milhões de euros, o património está hipotecado, grande parte dos passes dos jogadores já nem nossos são, e até ao final desta época só vai conseguir-se arrecadar mais 2 milhões de euros.
Levando em consideração que, para o imediato e para os próximos 3-4 meses, necessitamos de quase 5, então diga-me lá onde irá arranjar os 3 milhões que faltam?
O Vitoriano é um daqueles que acreditava nas balelas de Pinto Brasil, que iria conseguir tudo, desde novos empréstimos à banca, renegociação de dívidas e até novos investimentos?
Mas será que o "Vitoriano" é tão ingénuo que acreditava nisso? E também acredita que alguém em Guimarães vá injectar aquilo que nos falta? Ou que alguém de fora, injecte o que quer que seja, sem ter qualquer controle?
Está-me a parecer que está a precisar de sair dessa ilusão onde vive, e de voltar a pôr os pés na terra.
Não há outra solução, percebe?
Se houvesse, eu preferi-la-ia à SAD.

NOTA: quanto à história do "seu amigo", gostaria de lhe lembrar que ele tem nome e que, ao contrário de outros, nunca abdicou dele, escrevendo a coberto de pseudónimos...


De Vitoriano a 6 de Abril de 2012 às 18:39
Meu caro, infelizmente vi-me obrigado a votar em branco, porque também não acreditei no projecto do P. Brasil. Mas se quer que lhe diga, esse teve pelo menos o mérito de denunciar uma ou duas situações absolutamente nojentas (desculpe não encontro outro adjectivo) no seio do nosso clube. Aos poucos parece-me que vamos dar razão ao homem: é preciso varrer com essa corja de abutres, entre os quais se incluem alguns jogadores. Aliás gostava de saber a sua opinião sobre essas negociatas do N. Assis e P. Mendes. Acha que isto é algo que se deva passar no Vitória ???
No que respeita à sua resposta que preferia não ter SAD, eu respondo-lhe ao contrario: eu queria uma SAD ! Uma SAD em que a maioria do capital fosse nosso, percebe ? Em que não houvesse risco do nome Vitória Sport Clube desaparecer do mapa do futebol, percebe ? Não havendo essa possibilidade de uma SAD com capital vimaranense, prefiro um Vitória pobre mas nosso. O Miguel é que talvez precise de sair dessa ilusão, se acha que alguém vai meter dinheiro no Vitória assim tão fácil. Você não vê telejornais, não lê jornais ? Não há quem queira investir no Sporting, quem é que será o misterioso investidor que quer investir no Vitória ? Você já sabe que vai haver injecção de capital ? Se sabe diga aos seus consócios, porque até ver ninguém sabe quem vão ser os investidores e quanto dinheiro vai entrar, a lista A onde o senhor disse que ia votar ainda não o disse ! Ē bem provável que ainda voltemos a trocar impressões, talvez quando subir o pano e ficarmos a saber que um dos donos do Vitória vai ser... Emílio Macedo da Silva, esse mesmo que o ameaçou com tribunal.
Quanto ao seu amigo, referi-me ao Luís Cirilo dessa forma sem qualquer tipo de menosprezo, mas sim porque ao que me parece a vossa amizade é verdadeira


De Miguel Salazar a 6 de Abril de 2012 às 19:44
Eu também gostava de uma SAD dessas, se fosse viável.
Julgo que só o tempo o irá conseguir convencer a si, uma vez que eu não irei por certo consegui-lo.
E nessa altura terei muito gosto em trocar impressões consigo.
Quanto a PB, só espero mesmo que cumpra a promessa que nos fez...


De Vitoriano a 7 de Abril de 2012 às 00:36
Caro Miguel, assim como o o meu maior desejo é estar enganado, e que a sua convicção seja a nossa salvação. Depois Falamos


De Miguel Salazar a 7 de Abril de 2012 às 02:00
No fundo, Vitoriano, todos nós queremos o melhor para o nosso Vitória...


De Vitoriano a 7 de Abril de 2012 às 18:57
Aí, caro Miguel Salazar, sou obrigado a discordar consigo novamente. Eu com toda a certeza, você julgo que também, e todos os sofredores Vitorianos anónimos queremos despretensiosamente o melhor para o nosso Vitória.
Infelizmente e com grande mágoa sou levado a pensar que outros interesses estão a minar o nosso grande clube.


Comentar artigo

procurar cartoons
procurar por nome/palavra
 
desenhos mais recentes

a Sétima Cruzada da Era M...

O rapaz do Bar...

Bongani Zungu...

Em busca da segunda chave...

A primeira das duas chave...

8º aniversário do “ÁLB’oo...

O homem-forte, o menino b...

Dragão d'Ouro...

Janeiro, o mês do nosso m...

O "déjà vu" de Jorge Simã...

arquivo de desenhos
tudo sobre
tudo sobre
para explorar o blogue
acerca de nós
visitas nas últimas 24h

visitas acumuladas

páginas visualizadas