Quarta-feira, 4 de Setembro de 2013
Ilustres Vimaranenses (15) - Dona Teresa…

 

 

 

 

 

 

 

 

Dona Teresa nasceu em Leão, em 1080.

Filha ilegítima do Rei Afonso VI de Leão e Castela, e de Ximena Moniz, uma nobre castelhana, Dona Teresa era meia-irmã de Dona Urraca, herdeira do trono Leonês.

Em 1093, quando contava apenas 13 anos, a sua mão foi dada em casamento a um cavaleiro franco – Henrique de Borgonha. De Afonso VI recebeu, como dote de casamento, o Condado Portucalense.

Com a morte do Conde Dom Henrique, em 1112, Dona Teresa passou a governar o Condado na condição de Raínha, tendo sido reconhecida como tal por Dona Urraca de Leão e Castela, e até pelo próprio Papa. Em 1117 já assinava "Ego regina Taresia de Portugal regis Ildefonssis filia".

Em 1121 foi atacada por sua meia-irmã, conseguindo salvar o Condado Portucalense com a assinatura do Tratado de Lanhoso. Mas este ataque pôs em evidência a fragilidade do seu exército, motivo que a obrigou a procurar uma aliança estratégica, que Dona Teresa foi encontrar numa família poderosa da Galiza – os Trava.

Mera opção estratégica militar? Simples necessidade de satisfazer os seus devaneios amorosos com Fernão Peres de Trava? Ou a conjugação de ambas?

A verdade é que nunca se saberá qual terá sido ao certo o motivo que a levou a procurar abrigo debaixo da protecção da nobreza galega (simbolicamente representada na caricatura através do cálice do colar e do azul e dourado das cores da Galiza, no lenço e na capa: a Coroa apoiada num lenço galego e a Condessa sob a protecção da capa da Galiza).

Fosse qual fosse a sua verdadeira motivação, o facto é que essa aliança acabaria por lhe vir a ser fatal, pois os nobres do Condado jamais haveriam de lhe perdoar tal afronta.

A ambição desmedida do Infante Dom Afonso Henriques, entretanto armado Cavaleiro, e o descontentamento da nobreza, rapidamente se materializaram num movimento de revolta.

A 24 de Junho de 1128, travou-se a Batalha de São Mamede, onde Dom Afonso Henriques venceu Dona Teresa e Fernão Peres de Trava. Era a Primeira Tarde Portuguesa, como mais recentemente lhe veio a chamar o pintor Acácio Lino.

Depois da derrota, Dona Teresa foi confinada ao Castelo de Lanhoso, onde se acredita tenha vindo a morrer, a 11 de Novembro de 1130.

Na altura em que teve de escolher entre a vassalagem ao Reino de Leão e Castela, e a aliança ao Reino da Galiza, Dona Teresa terá seguramente optado pelo lado que melhor servia os interesses do Condado Portucalense. Mas nos 7 anos que se seguiram, Dona Teresa haveria de se perder nas suas opções estratégicas, provavelmente com o discernimento turvado pela paixão. Dona Teresa deixou de ser uma solução, para se transformar num problema que apenas se viria a resolver no Campo de batalha, em São Mamede...

 

Fernão Rinada

 

Fontes de pesquisa:

Fotografia de estátua de Dona Teresa (em Ponte de Lima)

 



publicado por Miguel Salazar às 20:12
"link" do artigo | o seu comentário | favorito

2 comentários:
De anónimo a 5 de Setembro de 2013 às 17:36
bela sintese histórica
Parabéns ao Fernão Rinada


De Fernão Rinada a 5 de Setembro de 2013 às 21:56
Muito obrigado.


Comentar artigo

procurar cartoons
procurar por nome/palavra
 
desenhos mais recentes

o "álb'oon" em destaque (...

o "álb'oon" em destaque (...

VAR - Video And Rescue...

Eh pá... Criem-na lá !...

O senhor Júlio vai à Rádi...

O senhor Júlio e o amigo ...

Contas de Merceeiro...

Esse Mito Urbano chamado ...

Esse Mito Urbano chamado ...

As 4 Cartilhas do Vitória...

arquivo de desenhos
tudo sobre
tudo sobre
para explorar o blogue
acerca de nós
visitas nas últimas 24h

visitas acumuladas

páginas visualizadas