Sábado, 14 de Dezembro de 2013
Fábio Coentrão, o FLASH GORDON lusitano...

Flash Gordon é um Super-Herói da King Features Syndicate, criado e desenhado por Alex Raymond, e que surgiu pela primeira vez no ano de 1934.

Steven Gordon vivia no planeta Terra, até ao dia em que viajou para o planeta Mongo, com o seu amigo cientista Dr Zarkov e com a sua namorada Dale Arden. O foguete em que viajavam despenhou-se em Mongo, que era dominado pelo Imperador Ming, o Impiedoso. Ming tinha usurpado o lugar do Príncipe Barin, legítimo herdeiro do trono, e subjugava desde então cruelmente os vários reinos do planeta. Barin vivia refugiado no Reino de Arbória (uma imensa floresta), e era daí que liderava a resistência à tirania de Ming. Rapidamente Flash Gordon e os seus amigos se juntaram à causa do Príncipe Barin, naquela luta contra o Mal instalado em Mingo City.

A história de Fábio Coentrão é muito semelhante à de Flash Gordon

Ainda muito novo viajou, também de foguete (embora haja quem lhe chame Alfa Pendular), para Arbória portuguesa, imenso eucaliptal à Beira-Tejo plantado, que tudo seca em seu redor.

Aí conheceu o Príncipe Viêirin, pretendente ao trono ocupado pelo Imperador Pint, o Impiedoso, em Pinto City. Inicialmente iludido pelo discurso de vendedor de banha-da-cobra de Viêirin, Coentrão juntou-se à causa do Príncipe desterrado. Mas o tempo logo lhe veio a mostrar que nem a causa de Viêirin era tão nobre como era a de Barin (na história original de Flash Gordon), nem o Imperador Pint era tão tirano quanto Ming, ou como Viêirin lho tinha pintado.

Coentrão sabia agora que antes do Império de Pint, o Impiedoso, a longa dinastia dos Milhafres Vermelhos, que Viêirin tentava agora repor a qualquer custo, tinha sido ainda mais longa e bem mais tirana e cruel. A verdade vinha ao de cima e Coentrão percebia finalmente que aquilo que norteava o Príncipe Viêirin não era a busca pela Justiça, mas apenas e tão só uma imensa sede de protagonismo e, acima de tudo, de Poder. Desencantado por uma Causa que afinal não passava de um logro, e encantado pelos euros com que lhe acenavam desde Terras de Don Quijote, Coentrão acabou por emigrar, para se juntar a Flash e ao Surfista Prateado

E pronto, é esta a história do mais recente Super-Herói plagiado pelo Miguel Salazar e por mim próprio.

A história de Fábio Coentrão, o FLASH GORDON lusitano...

 

José Rialto

 

FONTE DE PESQUISA:

Flash Gordon, from Wikipedia


(para ver Super-Heróis e Super-Vilões, lusitanos, luso-brasileiros e estrangeiros, carregar aqui)



publicado por Miguel Salazar às 21:41
"link" do artigo | o seu comentário | favorito

procurar cartoons
procurar por nome/palavra
 
desenhos mais recentes

a Sétima Cruzada da Era M...

O rapaz do Bar...

Bongani Zungu...

Em busca da segunda chave...

A primeira das duas chave...

8º aniversário do “ÁLB’oo...

O homem-forte, o menino b...

Dragão d'Ouro...

Janeiro, o mês do nosso m...

O "déjà vu" de Jorge Simã...

arquivo de desenhos
tudo sobre
tudo sobre
para explorar o blogue
acerca de nós
visitas nas últimas 24h

visitas acumuladas

páginas visualizadas