Quarta-feira, 5 de Agosto de 2015
Ilustres Vimaranenses (27) - Padre Gaspar Roriz...

20150729 Padre Gaspar Roriz.png

 

 

 

 

Gaspar Roriz,

o padre-artista

O Padre Gaspar da Costa Roriz é uma das figuras incontornáveis das primeiras décadas do século XX em Guimarães. Nascido na rua de D. João I no dia 30 de Agosto de 1865, filho de um mestre barbeiro, nunca esqueceu a sua origem humilde nem deixou de amar a terra que o viu nascer. Sacerdote e eminente orador sagrado, era frequentemente requisitado para abrilhantar solenidades religiosas nos lugares mais diversos. Mas os seus dotes oratórios não se limitavam a actos sagrados, sendo senhor de uma verve prodigiosa com que animava todo o género de eventos, públicos ou privados. Foi jornalista (em 1899 era redactor principal do Eco de Guimarães; em 1908 fundou o Regenerador, de que era director e proprietário), professor do Liceu, poeta, dramaturgo, encenador, conferencista, político, comissário da Ordem Terceira de S. Francisco de Guimarães. Grande conversador, era presença imprescindível nas tertúlias do seu tempo, onde se destacava pela cultura, pela devoção patriótica à sua cidade e pela finura da sua ironia. Padre-artista lhe chamou um dia um colega de ofício.

Gaspar Roriz foi um dos grandes animadores das festas dos estudantes de Guimarães a S. Nicolau, desde o seu ressurgimento em 1895. Escreveu pregões, compôs e ensaiou os textos das danças, dedicou diversas composições poéticas às festas. Dedicou-lhes também o Auto da Saudade, que compôs em 1920. Não foi por acaso que foi a Associação dos Antigos Estudantes do Liceu de Guimarães, então dirigida por António Faria Martins, a tomar a iniciativa de comemorar o centenário do seu nascimento, em 1965.

O seu nome é também indissociável das festas Gualterianas, ou não fosse ele o autor da letra do Hino da Cidade de Guimarães, composto por Aníbal Vasco Leão para as festas de 1906, e o inventor da Marcha Gualteriana, que saiu à rua pela primeira vez nas festas de 1907.

Mas o que mais distinguia o Padre Roriz era a sua dedicação a Guimarães, a sua paixão pela terra natal. Por aqui, todos sabiam que a porta da sua casa nunca deixava de se franquear alegremente a quem a ela batia e dizia a senha: Por Guimarães!

A última grande cerimónia em que discursou em público foi aquando da celebração do oitavo centenário da Batalha de S. Mamede, em 1928. Nesse dia, quando soaram os clarins de um pelotão de cavalaria, vestidos como os soldados de Afonso Henriques, acompanhando o içar da bandeira na torre de menagem do castelo, e a multidão explodia em vivas e aplausos, pelo rosto do Padre Roriz corriam lágrimas de que A. L. de Carvalho foi testemunha.

A notícia da sua morte cobriu Guimarães de luto no dia 7 de Março de 1932.

 

António Amaro das Neves

 

(publicado na revista Mais Guimarães - pág.51)



publicado por Miguel Salazar às 18:06
"link" do artigo | o seu comentário | favorito

Segunda-feira, 8 de Junho de 2015
Ilustres Vimaranenses (26) - Gil Vicente...

20150608 Gil Vicente.png

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"Mais quero um asno que me carregue do que um cavalo que me derrube"

Gil Vicente, em Farsa de Inês Pereira

 

 

 

 

Gil Vicente nasceu em Guimarães, por volta do ano de 1465.

Há quem defenda a possibilidade de o seu local de nascimento ter sido outro, mas essas hipóteses são menos prováveis. Gil Vicente foi um afamado Mestre Ourives e Joalheiro e uma das suas obras-primas foi a Custódia de Belém. O facto de se ter dedicado a estas artes é um dos argumentos mais fortes que tem levado os historiadores a considerá-lo como tendo origem vimaranense uma vez que, nessa altura, Guimarães era um dos centros mais importantes da Ourivesaria e da Joalharia em Portugal.

Gil Vicente celebrizou-se essencialmente como dramaturgo, embora também tivesse sido poeta. Foi o Pai do Teatro Português, e até do Ibérico. Apesar de existirem registos de vários outros nomes que o precederam, a verdade é que é inegável a sua crucial importância na História da dramaturgia portuguesa. Para além de autor, foi também músico, actor e encenador.

A obra de Gil Vicente no seu todo é essencialmente um retrato satírico da sociedade portuguesa do século XVI. Foi autor de mais de quatro dezenas de peças de teatro, de entre as quais se destacam o Auto da Barca do Inferno e a Farsa de Inês Pereira.

Gil Vicente morreu por volta do ano de 1536.

A Câmara Municipal de Guimarães decidiu honrar o seu mais ilustre dramaturgo, atribuindo o nome de Gil Vicente à rua que liga a Avenida Conde de Margaride ao Largo Navarro de Andrade, e ainda à Escola Básica 2/3, localizada na freguesia de Urgezes.

O seu nome foi também atribuído ao principal festival de teatro da cidade (Festivais Gil Vicente), que se realiza ininterruptamente desde o ano de 1987.

A mais famosa estátua de Gil Vicente, da autoria de Francisco Assis Rodrigues (1842), coroa o frontão da fachada do Teatro Nacional Dona Maria II, dominando toda a Praça do Rossio, em Lisboa.

 

Fernão Rinada

 

Fontes de Pesquisa:

Gil Vicente, na Wikipédia

Estátua de Gil Vicente, em Lisboa (blogue Terra dos Espantos)

Festivais Gil Vicente

Agrupamento Gil Vicente (Urgezes)



publicado por Miguel Salazar às 22:24
"link" do artigo | o seu comentário | favorito

Segunda-feira, 16 de Setembro de 2013
Ilustres Vimaranenses (16) - Novais Teixeira…

 

 

 

 

 

 

 

 

"Não, não sou português, sou mais do que isso, sou de Guimarães! Com efeito, sou de uma pátria pequenina e sólida chamada Guimarães (...) O resto, meus velhos amigos, é a fronteira de um outro mundo.

Novais Teixeira

 

Joaquim Novais Teixeira nasceu em Guimarães, a 21 de Abril de 1899.

Foi literalmente um "homem dos sete ofícios": escritor, jornalista, activista político, crítico literário e cinéfilo, programador cultural, comentador de política internacional e administrador.

Emigrou para Espanha aos 20 anos, onde frequentou o meio literário e artístico, tendo-se relacionado com grandes vultos da cultura espanhola daquela época, como eram Unamuno, Garcia Llorca, Pio Baroja, Diez Canedo, Valle-Inclán ou Luís Buñuel. Colaborou com o Presidente Manuel Azaña, e chefiou o Serviço de Imprensa Espanhola. Viveu intensamente a Guerra Civil e os textos que então publicou, constituem um dos mais notáveis contributos para o conhecimento daquele período intenso e conturbado da História de Espanha. Depois da Guerra, refugiou-se em França, impedido que foi de regressar a Portugal pelo regime Salazarista.

A invasão da França pelas tropas alemãs, acabou por o conduzir ao exílio no Brasil, onde viria a dirigir a Interamericana, serviço que apoiava a causa dos Aliados. Colaborou na Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, da qual foi seu Secretário-Geral. Dedicou-se à tradução, numa actividade muito intensa durante o ano de 1927, que teve particular ressonância na edição que preparou sobre as cartas do Padre António Vieira, em 1948.

Como jornalista, Novais Teixeira foi considerado um dos maiores especialistas mundiais sobre política internacional do seu tempo. Em França, foi o representante de jornais brasileiros prestigiados, como O Globo e O Estado da São Paulo. Ficaram famosas as suas reportagens na Itália e na Suíça, e os trabalhos que publicou sobre a questão franco-árabe com reportagens na Tunísia, na Argélia e em Marrocos.

Desde cedo ligado ao cinema, Novais Teixeira foi um dos mais respeitados críticos do seu tempo. Integrou os júris de prestigiados festivais internacionais de cinema, como eram os de Cannes, Locarno e Berlim, chegando mesmo a ser Presidente da Direcção da Fédération Internationale de la Presse Cinématographique. Em 1972, colaborou na organização do Festival de Cinema de Nice, que nesse ano foi dedicado ao então jovem cinema português. Em sua homenagem, o Syndicat Français de la Critique de Cinéma instituiu o Prémio Novais Teixeira, atribuído anualmente à melhor curta-metragem.

Em 1956, quando regressava a Guimarães, depois de décadas a viver no exílio, os amigos fizeram-lhe uma sentida homenagem. Durante esse jantar, realizado no Restaurante Jordão, Novais Teixeira agradeceu-lhes, num discurso que mostrava bem a maneira muito própria como sentia a sua condição de vimaranense:

 

“Guimarães tem sido sempre também uma das constantes da minha vida.

Em toda a parte me dou a conhecer como homem de Guimarães e, em toda a parte, me conhecem como tal.

Quando alguém me pergunta se sou português, é do meu hábito – e da minha verdade – responder:

‘Não, não sou português, sou mais do que isso, sou de Guimarães! Com efeito, sou de uma pátria pequenina e sólida chamada Guimarães (...) O resto, meus velhos amigos, é a fronteira de um outro mundo.’

No amor pelos homens, e na defesa dos seus direitos e dignidade, não reconheço fronteiras.

Mas a minha Pátria, a Pátria que me fez vibrar, a minha Pátria autêntica e forte é a Pátria da minha infância, é Guimarães!”

 

Joaquim Novais Teixeira morreu em Paris, em Dezembro de 1972.

40 anos mais tarde, a Capital Europeia da Cultura, Guimarães'2012, prestou a sua homenagem a Novais Teixeira, com a realização de um documentário de Margarida Gil, intitulado "O Fantasma do Novais", sobre o legado do crítico de cinema, "num cruzamento entre o passado e o presente, entre a realidade e a ficção". A CEC'2012, prestou-lhe ainda um outro tributo, com a realização de um concurso para os novos talentos portugueses. Com as "Curtas Novais Teixeira" foi possível "aumentar o património cinematográfico referente a Guimarães e incentivar o trabalho de novos realizadores, através do estímulo da visão crítica, ficcional ou política de uma cidade na Europa contemporânea".

 

Fernão Rinada

 

Fontes de pesquisa:

"O Desafio de 2012 (9)"

"Sou de uma pátria pequenina e sólida chamada Guimarães"

"Joaquim Novais Teixeira de Guimarães para o Mundo"



publicado por Miguel Salazar às 20:12
"link" do artigo | o seu comentário | ver comentários (1) | favorito

Domingo, 5 de Maio de 2013
Marcelo Rebelo de Sousa...





















Um dos mais mediáticos comentadores políticos da televisão portuguesa...



publicado por Miguel Salazar às 17:04
"link" do artigo | o seu comentário | favorito

Quarta-feira, 25 de Abril de 2012
Ilustres Vimaranenses (8) - Santos Simões…

 

Joaquim António dos Santos Simões nasceu em Penela, em 12 de Agosto de 1923.

Foi, durante toda a sua vida, um grande dinamizador cultural.

Por volta dos seus vinte anos, iniciou-se no teatro e no associativismo académico. Colaborou na reconstituição da Filarmónica de Espinhal.

Foi também nesta altura que iniciou a sua intervenção política, participando no movimento estudantil de então, e escrevendo no Diário de Coimbra sob o pseudónimo de Argos.

Licenciou-se em Ciências Matemáticas e Engenharia Geográfica.

Foi Director, encenador, ensaiador e actor, no Teatro dos Estudantes da Universidade de Coimbra.

Em 1948, apoiou a candidatura do General Norton de Matos, à Presidência da República.

Aos 34 anos, Santos Simões veio para Guimarães, para leccionar Matemática.

Foi fundador e dinamizador do Círculo de Arte e Recreio, do Cineclube de Guimarães, do Teatro de Ensaio Raul Brandão, da Cercigui e do Infantário Nuno Simões.

A sua intervenção política de esquerda fez com que acabasse por ser preso, em 1968, pela PIDE. Desde então, e até ao 25 de Abril, não mais o Estado Novo lhe permitiu que voltasse a leccionar.

Foi candidato pelo CDE à Assembleia Nacional, pelo círculo de Braga.

Após a revolução, participou na fundação de um novo partido de esquerda – o MDP/CDE –, integrando os seus órgãos directivos nacionais. O seu nome chegou mesmo a ser proposto para Governador Civil e para a pasta de Ministro da Educação, mas António Spínola recusou-o pelo facto de ser comunista.

Escreveu livros de intervenção política, mas também escreveu algumas peças de teatro.

Integrou a Comissão instaladora da Universidade do Minho e, em 1986, foi nomeado para o seu Senado.

Foi Presidente da Sociedade Martins Sarmento (a partir de 1990), tendo sido responsável pela instalação do Museu de Cultura Castreja (em Briteiros) e pela concretização da Casa de Sarmento (Centro de Estudos do Património).

Joaquim António dos Santos Simões faleceu em 2004, alguns dias depois de o seu nome ter sido atribuído à Escola Secundária de Veiga.

Embora não fosse natural de Guimarães, muito a cidade ficou a dever a Santos Simões. O panorama cultural da nossa cidade seria bem diferente sem a sua intervenção.

E nenhum outro dia poderia ser mais apropriado do que o 25 de Abril, para evocar a memória deste ilustre vimaranense…

 

Fernão Rinada

 

(caricatura publicada nos blogues Depois FalamosHumorgrafe e Memórias de Araduca)

 

Fontes de pesquisa:

Santos Simões, na Wikipédia

Biografia do Dr Joaquim António dos Santos Simões



publicado por Miguel Salazar às 00:00
"link" do artigo | o seu comentário | ver comentários (4) | favorito

Sábado, 31 de Dezembro de 1994
Voando sobre um ninho de cucos...

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 

Este cartoon com Jack Nicholson, voando sobre um "ninho de cucos", foi realizado durante o ano de 1994.

Participei com este desenho no IX Salão Nacional de Caricatura, e foi o trabalho escolhido pelo Professor Doutor Armando Moreno, para ilustrar a página que me destinou na sua obra Médicos Artistas Portugueses do século XX, editado em 2000 pela Printipo e com patrocínio da Sociedade Portuguesa de Cardiologia.



publicado por Miguel Salazar às 20:35
"link" do artigo | o seu comentário | ver comentários (2) | favorito

Segunda-feira, 30 de Setembro de 1991
Ary Fontoura (esboço)...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ary Fontoura é mais um dos históricos actores brasileiros, que se notabilizou em múltiplos filmes e telenovelas da Rede Globo.

Um dos seus melhores papeis foi o de Prefeito Florindo Abelha ("Seu Flô”), na novela "Roque Santeiro".



publicado por Miguel Salazar às 22:19
"link" do artigo | o seu comentário | favorito

Sábado, 31 de Agosto de 1991
Armando Bógus (esboço)...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais um dos senhores do cinema e do teatro brasileiros. Como a maior parte dos seus colegas, também Armado Bógus trabalhou muito em televisão. Um dos seus melhores trabalhos terá sido o papel de "Seu Nacib", quando contracenava com Sónia Braga em "Gabriela".

No entanto, este estudo para uma caricatura do actor, não se refere a esse papel...



publicado por Miguel Salazar às 22:19
"link" do artigo | o seu comentário | ver comentários (2) | favorito

Quarta-feira, 10 de Dezembro de 1986
Mauro Mendonça...

 

Mauro Mendonça é um actor brasileiro, conhecido do público português através das muitas telenovelas em que já participou.

Este cartoon era referente a uma, da qual já não recordo o nome, em que este actor vestia a pele de uma personagem que sonhava repetidamente com o negócio que haveria de fazer dele um homem rico...



publicado por Miguel Salazar às 00:01
"link" do artigo | o seu comentário | favorito

Quinta-feira, 15 de Outubro de 1981
Barbra Streisand e Barry Gibb...

 

Barbra Streisand, actriz e cantora norte-americana, fez um famoso dueto com Barry Gibb (um dos três irmãos australianos dos Bee Gees), em que cantaram What Kind of Fool...



publicado por Miguel Salazar às 21:09
"link" do artigo | o seu comentário | favorito

Segunda-feira, 5 de Outubro de 1981
Jeffrey Tambor...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Actor norte-americano, que participou numa grande quantidade de filmes, como There's Something About Mary, Meet Joe Black e, mais recentemente, The Hangover (a Ressaca).

Jeffrey Tambor foi também o vizinho dos Ropers, famosa série norte-americana de humor que passou na RTP no início dos anos 80...



publicado por Miguel Salazar às 17:43
"link" do artigo | o seu comentário | favorito

Sexta-feira, 25 de Setembro de 1981
Reinaldo Gonzaga...

 

Mais um actor brasileiro, que se deu a conhecer ao público português através da televisão. Esta caricatura refere-se à sua personagem Edson, da novela Dona Xepa...



publicado por Miguel Salazar às 18:25
"link" do artigo | o seu comentário | favorito

Domingo, 20 de Setembro de 1981
Ísis Koschdoski...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ísis Koschdoski é uma actriz brasileira que fez o papel de Helena, na telenovela da Rede Globo "Dona Xepa"...



publicado por Miguel Salazar às 22:00
"link" do artigo | o seu comentário | favorito

Terça-feira, 15 de Setembro de 1981
Não identificada...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Caricatura de uma actriz brasileira de telenovelas.

Alguém me dá uma ajuda na sua identificação?...



publicado por Miguel Salazar às 20:04
"link" do artigo | o seu comentário | ver comentários (4) | favorito

Sábado, 5 de Setembro de 1981
Castro Gonzaga...

 

Coronel Amâncio Leal foi o primeiro papel que lhe conheci, interpretado na telenovela Gabriela (a primeira telenovela brasileira a passar na RTP). No entanto, esta caricatura refere-se a uma outra interpretação, que eu julgo ser a de Gervásio Campelo, em Sinhazinha Flô...



publicado por Miguel Salazar às 19:12
"link" do artigo | o seu comentário | favorito

Terça-feira, 1 de Setembro de 1981
Beatriz Segall...

 

Beatriz Segall é uma actriz brasileira muito conceituada. Em Portugal era conhecida pela sua participação em telenovelas como Dancin'Days (como Celina de Souza Prado Cardoso) e Água Viva (como Lourdes Mesquita)...



publicado por Miguel Salazar às 19:03
"link" do artigo | o seu comentário | favorito

Quarta-feira, 10 de Setembro de 1980
Reginaldo Faria...

 

Actor brasileiro de inúmeras telenovelas da Rede Globo. Uma das que mais o celebrizou foi a Água Viva, no papel de Nelson Fragonard, novela em que contracenou com a actriz Betty Faria...



publicado por Miguel Salazar às 18:44
"link" do artigo | o seu comentário | favorito

Sexta-feira, 4 de Abril de 1980
Sónia Braga...

A actriz brasileira Sónia Braga, na telenovela Dancin'Days, da rede Globo.

Nesta novela, Sónia Braga faz o papel de Júlia, uma ex-condenada que a partir de determinada altura resolve mudar radicalmente de vida, transformando-se numa mulher sofisticada.

Eis as duas versões de Júlia: a "ex-condenada" e a "sofisticada"...

 



publicado por Miguel Salazar às 19:01
"link" do artigo | o seu comentário | favorito

Quarta-feira, 2 de Abril de 1980
José Lewgoy...


 

José Lewgoy é um dos actores mais consagrados do teatro e do cinema brasileiros.

Como todos os outros, também Lewgoy trabalhou na televisão, onde fez inúmeras novelas.

Esta caricatura refere-se ao seu papel de Horácio Pratini, na telenovela "Dancin'Days"...



publicado por Miguel Salazar às 18:54
"link" do artigo | o seu comentário | favorito

Terça-feira, 1 de Abril de 1980
Eduardo Tornaghi...

Eduardo Tornaghi é um actor brasileiro, com participações em várias telenovelas. Esta caricatura refere-se ao seu desempenho na "Dancin'Days", em que assumia o papel de um médico dentista com o nome de Raulzinho...



publicado por Miguel Salazar às 17:42
"link" do artigo | o seu comentário | ver comentários (1) | favorito

Sexta-feira, 28 de Março de 1980
João Paulo Adour (esboço)...

 

Esboço de mais um actor brasileiro de telenovelas, desenhado a propósito da sua participação na "Dona Xepa", no papel de Ivan...



publicado por Miguel Salazar às 00:17
"link" do artigo | o seu comentário | favorito

Domingo, 20 de Janeiro de 1980
Ana Lúcia Torre...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Actriz brasileira que participou em inúmeras telenovelas, aparece aqui no papel de Glorita, em Dona Xepa...



publicado por Miguel Salazar às 13:08
"link" do artigo | o seu comentário | favorito

Quinta-feira, 3 de Janeiro de 1980
Não identificado...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais uma caricatura de um... não identificado.

Este, é um actor brasileiro de telenovelas...

Alguém sabe quem é?...

 



publicado por Miguel Salazar às 00:17
"link" do artigo | o seu comentário | favorito


procurar cartoons
procurar por nome/palavra
 
desenhos mais recentes

Ilustres Vimaranenses (27...

Ilustres Vimaranenses (26...

Ilustres Vimaranenses (16...

Marcelo Rebelo de Sousa.....

Ilustres Vimaranenses (8)...

Voando sobre um ninho de ...

Ary Fontoura (esboço)...

Armando Bógus (esboço)...

Mauro Mendonça...

Barbra Streisand e Barry ...

arquivo de desenhos
tudo sobre
tudo sobre
para explorar o blogue
acerca de nós
visitas nas últimas 24h

visitas acumuladas

páginas visualizadas